Recursos garantidos para construção de 1.850 moradias Programa “Minha Casa, Minha Vida”

O cuidado com as pessoas, a busca pelo bem-estar e a garantia de condições dignas para se viver são pilares básicos do programa político do PCdoB, e a gestão do partido em Contagem se destaca nesse sentido. Prova disso, foi a assinatura da Ordem de Serviço, nesta quarta-feira (1º/6), pelo prefeito Carlin Moura, para construção de 1.824 novas unidades habitacionais do Programa “Minha Casa, Minha Vida”, na região do bairro Nacional. Mais um compromisso cumprido com a população de Contagem.

A obra integra o maior programa habitacional que a cidade já viu. No total, serão mais de 3 mil novos apartamentos para famílias carentes. Destes 238 novos apartamentos já foram entregues para famílias da Vila Barraginha, no Industrial, e do Sapucaias, no Petrolândia, mais 360 já estão em construção e outros 1.344 ainda terão a Ordem de Serviço assinada em breve.

De acordo com Carlin Moura, esta é mais uma prova que é possível, mesmo em um momento de instabilidade econômica, com vontade política, buscar recursos e investimentos para o município. “Fazer obras em um momento em que a economia do país está em alta, com juros baixos, exportações dentro de um cenário de competitividade razoável e grande oferta de emprego no mercado, é muito fácil para qualquer governante. Garantir essas mesmas obras na crise, requer diálogo, trabalho, participação popular e transparência”, ressaltou Carlin.

O Conjunto Residencial Veredas Pedra Azul, como será chamado o empreendimento, atende a uma grande demanda da região por moradia, em virtude do rápido crescimento demográfico. A comunidade e representantes de associações apresentaram a solicitação ao prefeito Carlin, e agora o sonho da casa própria se apresenta como uma realidade, bem próxima, para muitas famílias. As moradias, que serão construídas em parceria com o governo federal e a Direcional Engenharia, são destinadas aos moradores que vivem na região e tenham renda mensal de até R$ 1.600,00.

Tânia de Oliveira, 30, doméstica, mãe de dois filhos; 2 e 5 anos, morou em Contagem por 20 anos e foi tentar a vida no Rio de Janeiro e, por meio de familiares, se atualizava do que acontecia em Contagem. “Minha irmã me disse que tinham construído Pronto-Socorro, nova maternidade e que, agora, moradias do “Programa Minha Casa, Minha Vida” seriam construídas em Contagem. Não pensei duas vezes, peguei meus filhos e voltei. Tenho que pensar no futuro, na saúde e numa moradia digna para criar e educar meus filhos”, concluiu Tânia.

Luzia Pires de Oliveira, 60, viúva, criou cinco filhos naturais e dois adotivos, e nunca pode adquirir a casa própria. “Estou na terceira idade e já não tenho forças para trabalhar e nem condições de ficar mudando de aluguel todo dia. Preciso de sossego. O ‘Minha Casa Minha Vida’ é uma esperança que ainda tenho de morar no que é meu”, afirmou.

Para Sérgio Rodrigues Vasconcelos, 31, que ganha um salário-mínimo como ajudante de carga e descarga, acredita que os R$350,00 que paga de aluguel podem ser revertidos em educação de qualidade, alimentação balanceada e saúde para sua família. “A casa própria para abrigar mulher e filhos é sonho de qualquer pai de família. É uma conquista que nos permite sair para o trabalho e saber que os entes queridos estão protegidos e que ninguém vai bater na porta cobrando aluguel atrasado”, finalizou.

“Atender demandas, realizar sonhos, garantir qualidade de vida e respeitar a dignidade das pessoas é assim que o PCdoB pretende construir um país decente, minimizar as desigualdades sociais e levar o modelo de gestão administrativa de Contagem ao reconhecimento nacional”, frisou o presidente do PCdoB-Contagem Pedro Amaral.

Repórter Deiwson Magal
Jornalista/PCdoB – Contagem
FOTO CRÉDITO: Ricardo Lima