• Facebook
  • Twitter

Prefeito Carlin Moura na assinatura do termo de adesão do município ao programa do governo federal

A pactuação do Plano Juventude Viva e a posse do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial encerraram a programação do mês da Consciência Negra, dia 29 de novembro, no Centro Cultural.

O prefeito de Contagem, Carlin Moura, assinou o termo de adesão do município ao programa do governo federal. O plano visa enfrentar a violência contra a juventude brasileira, especialmente os jovens negros, principais vítimas de homicídio no Brasil. Após a pactuação, o município tem o prazo de 120 dias para elaborar o projeto multissetorial, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude através das Coordenadorias de Juventude e Coordenadoria de Igualdade Racial.

Contagem é a 24ª cidade do país com maior índice de homicídios entre jovens de 15 a 29 anos. No Brasil, os homicídios atingem especialmente jovens negros do sexo masculino, moradores das periferias e áreas metropolitanas dos centros urbanos. Dados do Ministério da Saúde mostram que mais da metade (53,3%) dos 49.932 mortos por homicídios em 2010 no Brasil eram jovens, dos quais 76,6% negros (pretos e pardos) e 91,3% do sexo masculino.

O prefeito ressaltou a importância e o significado político e histórico do momento. “Hoje quero chamar atenção para duas questões. Primeiro, o programa é social para a defesa da vida do jovem brasileiro, lembrando a dívida histórica e social com a comunidade negra no país que inclui a exclusão, o preconceito, a falta de infraestrutura urbana que traz consigo a violência. Segundo, a posse do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial é uma reivindicação antiga da comunidade que fará parceria com o governo para formular políticas públicas e promover o controle social”, afirmou.

Plano Juventude Viva
O Plano Juventude Viva articulará programas e ações em áreas como educação, saúde, cultura, qualificação profissional, entre outros. Construído por meio de um processo amplamente participativo, o plano reúne ações de prevenção que visam reduzir a vulnerabilidade dos jovens em situações de violência física e simbólica, a partir da criação de oportunidades de inclusão social e autonomia; da oferta de equipamentos, serviços públicos e espaços de convivência em territórios que concentram altos índices de homicídio; e do aprimoramento da atuação do Estado por meio do enfrentamento ao racismo institucional e da sensibilização de agentes públicos para o problema.

Presenças
Estiveram presentes no evento, a secretária-adjunta nacional de Juventude, Ângela Guimarães, o coordenador de Direitos Humanos da Secretaria Nacional de Direitos Humanos, João Alves, o secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Sílvio Brás da Silva, o secretário adjunto Érico Nogueira de Sousa, o deputado federal George Hilton, coordenador municipal de Políticas para a Juventude, Rafael Leal, o coordenador de Promoção da Igualdade Racial, Israel Miranda, além de secretários municipais, jovens e conselheiros municipais.

Por Cristiane Oliveira
Foto: Elias Ramos