Na sede da Associação dos Pequenos Atletas de Contagem (Apac), Minas Gerais, o ministro do Esporte, George Hilton, entregou oficialmente, na manhã desta sexta-feira (20), os novos equipamentos de luta olímpica que atenderão aos lutadores que treinam na entidade e no estado, por meio da Federação Mineira da modalidade.

  • Facebook
  • Twitter

Prefeito Carlin Moura, ministro do Esporte, George Hilton, juntos dos atletas e demais autoridades

Os equipamentos foram adquiridos pela Confederação Brasileira de Lutas Associadas (CBLA) a partir de convênio com o governo federal. Com a presença do presidente da CBLA, Pedro Gama Filho, e do prefeito de Contagem, Carlos Magno, o evento contou com atletas e técnicos da região.

O presidente da federação mineira, Luiz Otávio, explica que os equipamentos ficarão disponíveis na Apac para o treinamento da Seleção Mineira de luta olímpica e para os futuros atletas da modalidade.

“Contamos com alguns atletas de ponto, de alto rendimento, e faltava um equipamento específico para o treinamento da modalidade. A chegada dos aparelhos ajudou muito no desenvolvimento dos nossos atletas e já colhemos frutos com os últimos resultados nas competições”, disse.

Esporte em áreas de vulnerabilidade social

Localizada em uma região de vulnerabilidade social, a Apac abrange ao menos cinco bairros de Contagem (São Matheus, Tijuco, Estrela D’Alva, Confisco e Nacional). A Associação é mantida por voluntários e oferece aulas de voleibol, futsal, caratê e luta olímpica, além de prestar apoio à comunidade nas áreas da educação, saúde e cultura.

Na associação, treinam 25 atletas, incluindo destaques da modalidade como Rafael Messias, titular da seleção brasileira desde 2008, e Douglas Rocha, de 17 anos, vice-campeão brasileiro dos Jogos Escolares da Juventude, em 2014, e medalha de prata no Pan-Americano Cadete do Recife 2014.

Os campeões Rafael Messias, Rafael Salles e Richard Moura treinam e são voluntários na formação de novos atletas na Apac. Atuando como professores, ensinam o esporte a 50 crianças e adolescentes da região.

Josimara Julho é outro nome da luta olímpica que treina na Apac. Ela conquistou o sétimo lugar nos Jogos Mundiais Universitários de 2014 e é reserva de Joice Silva na seleção principal.

Legado

Com o objetivo de prover infraestrutura para formação e treinamento de atletas da luta olímpica no Brasil, principalmente para novas gerações do esporte, o convênio – firmado em 2012 – permitiu um investimento de R$ 2,8 milhões na compra de 50 tapetes oficiais, 15 bonecos e 15 ossos de luta (espécie de boneco apenas com braços e pernas, para treinos no chão). Os equipamentos foram enviados a 17 estados.

A luta olímpica conta com grandes investimentos nos últimos anos. Outros três convênios do Ministério do Esporte com a CBLA, celebrados no final de 2014, permitirão a aquisição de mais equipamentos – para formar novos núcleos e melhorar a infraestrutura do esporte em todas as regiões do País –, a estruturação do Centro Nacional de Alto Rendimento, no Rio de Janeiro, e o intercâmbio com técnicos de Cuba.

Os novos convênios somam mais de R$ 7,4 milhões e possibilitarão a aquisição de 80 tapetes olímpicos, 20 bonecos gregos, 20 bonecos freestyle, dez ossos de treino e equipamentos de musculação e de refrigeração.

De Cuba, virão dez técnicos de luta olímpica nos estilos Greco Romano, Livre e Luta Feminina. Cerca de 500 atletas farão treinamentos com os estrangeiros, permitindo melhoria do nível técnico da base à ponta e capacitação de treinadores brasileiros.

Os investimentos fazem parte do plano de legado dos Jogos Olímpicos e dos Jogos Paraolímpicos Rio 2016, que já está se tornando realidade em todo o País.

Esportes que antes não eram prioridade para receber investimento estão sendo contemplados com equipamentos e outros tipos de apoio, com o objetivo de criar condições adequadas para formação de atletas e projetar as modalidades no Brasil e no mundo.

Apoio aos atletas

Além do investimento em equipamentos de ponta para estruturar os centros de treinamento, 216 atletas da Luta Olímpica são patrocinados pelo programa Bolsa Atleta para continuarem se dedicando ao esporte. São 15 atletas na categoria Estudantil, 180 na Nacional, 20 na Internacional e um atleta na categoria Olímpica. O total do investimento é de R$ 2,5 milhões por ano.

Outras quatro atletas são patrocinadas pela Bolsa Pódio, programa que faz parte do Plano Brasil Medalhas e que é destinado a brasileiros que figuram entre os 20 melhores do ranking mundial em modalidades olímpicas e paraolímpicas. São eles: Aline Silva (72kg), Joice Silva (58kg), Dailane Reis (63kg) e Laís Nunes (63kg). O total do investimento é de R$ 348 mil por ano.

Fonte: Ministério do Esporte
Foto: Fredericus Augustus