Mais de 150 dirigentes escolares, acompanhados do prefeito Carlin Moura, visitaram na manhã da sexta-feira (15/7) a Trilha Ecológica Valentin Soares de Andrade “Sô Tino”, no Horto Florestal, na região do Cinco.

Durante a visita guiada, todos puderam apreciar e contemplar um pouco das espécies da fauna e flora existentes no local, que também abriga a sede da Fundação Municipal de Parques e Áreas Verdes (Conparq). O objetivo da visita foi despertar aos diretores o interesse para a adoção do horto como mais um espaço de aprendizagem para os alunos.

Carlin Moura destacou que a prefeitura trabalha para que o horto se transforme em um Centro de Educação Ambiental para todos os estudantes de Contagem, tanto da rede pública quanto da particular. A proposta é ampliar, cada vez mais, os territórios de conscientização sobre a importância da preservação da natureza na cidade.
Para o prefeito, um dos principais desafios da sociedade atual é conseguir a convivência harmônica entre indústria e meio ambiente, pois no mundo contemporâneo não vive sem os bens de consumo. Portanto, na avaliação de Carlin Moura, essa harmonia deve ser construída por meio da consciência ambiental.

O vice-prefeito, João Guedes, deu boas-vindas aos educadores enaltecendo a profissão. Disse que conhece bem de perto a dedicação do educador, pois é de uma família constituída, predominantemente, de professores. “É uma profissão que prima por “dar de si sem pensar em si”, enfatizou.

O secretário de Educação, professor Ramon, ao agradecer a presença dos dirigentes para conhecer a trilha ecológica, anunciou que a Secretaria de Educação (Seduc) disponibilizará transporte para que os alunos possam participar de atividades no horto. Também agradeceu a parceria com a Conparq por possibilitar que os estudantes de Contagem tenham mais um local de aprendizagem.

“Esse espaço é mais uma prova de que na Cidade Aprendizagem a educação vai além dos muros da escola. Todos atores e territórios do município contribuem para educar”, completou o secretário, fazendo referência à Rede Global de Aprendizagem da Unesco, da qual Contagem faz parte desde 2015.

“Nossa ideia é trazer todos os estudantes para dentro do horto, para que por meio de atividades, eles se sensibilizem para importância do respeito às questões ambientais”, declarou o vice-presidente da Conparq, Bruno Bianor.

Para a presidente da Funec, Ana Carolina Caram, fazer do horto uma referência de educação ambiental é mais uma iniciativa para enriquecer o aprendizado dos estudantes de Contagem, outro compromisso do governo Carlin Moura, que é qualificar, continuamente, o ensino na cidade.
“Nós somos parte da natureza, por isso, nada mais coerente a adoção do horto como mais um espaço para ampliar conhecimentos de nossos estudantes”. A declaração é do Mauro Jorge da Silva, articulador comunitário na Escola Municipal Ivan Diniz Macedo, unidade que atende mais de mil estudantes do ensino fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA), no bairro Retiro, na região Vargem das Flores.

A diretora da Escola Municipal José Silvino Diniz, no bairro Solar do Madeira, na região do Petrolândia, Maria Aparecida da Silva Batista, avalia que aulas ministradas em contato com a natureza contribuem para elevar o respeito ao meio ambiente. “Muitos de nossos estudantes só conhecem aspectos urbanos, não têm contato com animais e nem com o verde. Aulas no horto podem representar uma oportunidade inédita e um privilégio”, diz a educadora efetiva na rede há 39 anos e responsável pela unidade que atende mais de 540 alunos de ensino fundamental.

Trilha Ecológica
Durante o passeio na trilha, com extensão de um quilômetro, ocorrem duas paradas. Na primeira, o biólogo da Conparq, Guilherme Ribeiro, fala da importância das Áreas de Preservação Permanentes (APPs), visto que o horto está localizado em uma dessas áreas. Explica que as áreas protegidas normalmente são cobertas por matas ciliares com a função ambiental de preservar recursos hídricos e biodiversidade, incluindo a fauna e flora. No caso da APP que abriga o horto de Contagem, o biólogo lembra que no local funcionou o antigo lixão da cidade, por isso, a área encontra-se, parcialmente, degradada.

Na segunda parada da visita guiada na trilha, o biólogo aborda a necessidade de supressão e poda de árvores e a importância da reutilização de resíduos arborização urbana. Ele lembra que nesse processo é dado novo uso para o material, sem custo. Já na reciclagem – embora seja também importante na preservação ambiental – envolve custo, pois é preciso o derretimento do plástico, metal e do vidro para se tornarem novas matérias primas. “Nessa parada, a ideia é trabalhar com os estudantes a gestão dos resíduos sólidos. O lixo que sai da casa deles, que caminho pode ter dependendo da atitude deles”, explica o biólogo.

O passeio à trilha ecológica contou também com a colaboração do biólogo Ramon Palhares, do Parque Ecológico Vale Verde, localizado em Betim, estabelecimento parceiro da Conparq.

Horto Florestal de Contagem

O Horto Florestal foi fundado em 1970, no bairro Praia. Depois foi transferido para o Centro e, em 2007, para o atual local, na rua José Cavaline, n°15, no bairro Cinco.

O equipamento da prefeitura é responsável pela germinação de sementes, desenvolvimento e propagação de mudas forrageiras e arbustivas, produção de mudas de árvores de alta qualidade, de compostagem orgânica e pela produção de terra vegetal.

O Horto também realiza distribuição de mudas de árvores. No ano passado, foram distribuídas mais de 28 mil mudas de árvores para contagenses. Com a produção do Horto, a equipe da Conparq mantém o paisagismo de diversos espaços públicos da cidade. Outra função é receber as demandas provenientes das compensações ambientais. Dessa forma, cabe ao órgão receber mudas ou insumos de empreendedores ou de moradores que causam algum impacto ambiental, a exemplo de corte de árvore.–