A Orquestra Jovem das Gerais, que nasceu em Contagem e desenvolve um trabalho de acesso à cultura, arte e educação, está em turnê pelo Japão desde o dia 28 de junho. Durante doze dias, a orquestra se apresenta no país oriental e participa de curso. Os concertos serão em Yamanashi, Nagano, Kamakura, Tochigui e na capital japonesa, Tóquio. Ao todo, 28 instrumentistas foram selecionados para a viagem internacional.

Segundo a coordenação Cultural de Orquestra Jovem das Gerais (OJG), a série de concertos apresentadas ao público japonês contempla obras eruditas e populares consagradas no meio artístico, como 1.812 Overture, de Tchaikovsky, Sinfonia Nº 5, de Beethoven, Aquarela Brasil, de Ary Barroso, e Mourão, de Guerra-Peixe.

A Embaixada do Brasil no Japão, localizada em Tóquio, também receberá os músicos para apresentação especial. Os instrumentistas se apresentarão no 2º Festival de Música Japão – Brasil 2016, do Projeto Música sem Fronteiras, na cidade de Sano, em Tochigi.

Os 28 instrumentistas também participam do curso de aperfeiçoamento musical na Fundação Método Suzuki, em Matsumoto, criado por Shinishi Suzuki. Desde a sua fundação, a OJG adota a metodologia no ensino musical.

Orquestra Jovem das Gerais
A ONG Orquestra Jovem das Gerais foi fundada em 1997, pelos músicos mineiros Renato Almeida e Rosiane Reis, batizada com o nome de Orquestra Jovem de Contagem. Com sua expansão e amadurecimento já passaram pela ONG 1400 alunos e, atualmente, 250 crianças e adolescentes são beneficiados pela iniciativa.

A proposta da OJG é voltada para a promoção do desenvolvimento humano por meio do acesso à arte, cultura e educação. Atualmente, o projeto oferece oficinas de instrumentos de cordas (violino, viola, violoncelo e contrabaixo), sopros (flauta transversal, fagote, oboé e clarinete) e percussão a crianças e jovens de comunidades de baixa renda e em situação de vulnerabilidade social.

Foto: www.facebook.com/orquestrajovemdasgerais