Neste sábado (21) ocorre a a inauguração da nova Maternidade Municipal Juventina Paula de Jesus, que é uma das maiores integrantes da Rede Cegonha em Minas Gerais

Ontem quinta-feira (19), às 17h30, o Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, acompanhado de padres da região, participaram de uma visita às instalações da nova maternidade de Contagem, e deram a bênção para o equipamento público.

Um sonho da população contagense vai ser realizado nesse sábado (21): a inauguração da nova Maternidade Municipal Juventina Paula de Jesus, uma das maiores integrantes da Rede Cegonha em Minas Gerais. Durante essa semana, o prédio do novo Centro Materno-Infantil recebeu as bênçãos de pastores evangelicos, padres, entre eles o Arcebispo Metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, e de Norma Cotta, da Associação Além dos Orixás, de Matriz Africana. A nova maternidade foi construída ao lado do Hospital Municipal de Contagem, na avenida João César de Oliveira, nº 4.495, Eldorado.

Para o prefeito Carlin Moura, a inauguração do local, que expandirá a capacidade de partos no município de 240 para 600, é a prova do cuidado de Deus com a cidade de Contagem. “Jesus tem operado milagres em mim e em toda a população do município. Essa obra foi escolhida pela comunidade, e quando entramos no governo, os recursos estavam garantidos, mas ela não estava concluída, então corremos atrás e conseguimos terminá-la. Esse é um espaço adequado, para que nossas crianças nasçam com dignidade, e espero que tenham um futuro brilhante”.

O arcebispo Dom Walmor destacou a importância de uma maternidade estruturada e qualificada para as novas mamães. “Parabenizo o prefeito Carlin Moura e a administração municipal de Contagem por entregar essa bela e estruturada maternidade. Estamos em um lugar que vai trazer muitas felicidades, formar famílias e, principalmente, trazer novos seres humanos à vida. É uma bênção para toda Região Metropolitana de Belo Horizonte”.

Presidente do Conselho de Pastores de Contagem (Conpac), o pastor Valter Lima citou o texto que está escrito no evangelho de Lucas, em que Maria dá a luz a Jesus em uma simples manjedoura. “Eu penso nessa situação, e nas crianças que não têm um lugar adequado para nascer. Sou grato pela sensibilidade e carinho do prefeito”.

“Esse é um importante equipamento para as crianças e futuras mães, um grande avanço para a cidade. Um sonho de todos nós que se realiza agora. A nova maternidade será referência para infância e saúde da mulher. A vida é um bem único, e devemos fazer de tudo para preservá-la desde o seu nascimento.

O centro materno representa progresso e bem-estar para nossa comunidade”, disse o padre José Geraldo Sobreira, mestre de cerimônia da arquidiocese de Belo Horizonte, e que foi pároco da Igreja São Gonçalo por 27 anos. Para o presidente do Conselho de Pastores e Obreiros de Contagem (Copocon), Fabiano Gabriel, a maternidade completa os planos de Deus que são traçados no começo da Bíblia, em Gênesis. “A maternidade é uma pequena parte de um grande projeto chamado família. Por meio dela, muitos lares ficarão cheios de alegria, porque é isso o que uma criança traz. Que aqui sejam gerados doutores, advogados. Estamos abençoando todas essas crianças, antes mesmo delas nascerem”.

Mãe Canguru

O Método Mãe Canguru possibilita que o recém-nascido com baixo peso (peso inferior a 2,5kg, sem considerar a idade gestacional) ou prematuro permaneça “colado” junto ao corpo da mãe. É um programa de humanização e assistência neonatal, que implica no contato precoce, pele a pele, entre mãe e bebê, aumentando o vínculo e contribuindo para o desenvolvimento do recém-nascido. O Mãe Canguru estabelece maior apego, segurança, incentivo ao aleitamento materno e melhor desenvolvimento da criança.

Fonte: O Tempo Contagem